Tempo

Entre uma semana e outra, vamos fazendo milhões de coisas, ou melhor, nos permitindo fazer com que o mundo nos comande, e, por conta disso, envelhecemos o tempo dos outros, o tempo que passa despercebido por nós.

A vida nada mais é do que a doação do nosso tempo. Doamos tempo aos nossos estudos, às nossas brincadeiras, aos nossos amigos. Depois doamos tempo aos nossos amores, aos nossos filhos, ao nosso trabalho. Por fim, doamos o tempo à velhice, à doença e à morte.

A morte é o descanso, a viagem a um país distante, nosso berço de origem. E tão mais feliz e agradável – e porque não dizer tranquila – ela será, quanto mais fizermos úteis o nosso tempo para o mundo, na exata medida dos sorrisos e alegrias que proporcionamos.

Frederico Ferreira

Jan/2014